Até então as área mais conhecidas  de atuação da perícia forense envolviam a Antropologia, Criminologia, Entomologia, Odontologia, Patologia e Psicologia , que em conjunto, atuam de modo a resolver casos de carácter legal, normalmente relacionado
a um crime.

Vejamos um resumo destas principais áreas de atuação forense:

Atropologia Forense

É um ramo da medicina legal e tem como objetivo a identificação de seres humanos. Tem forte influência sobre a esfera penal. É utilizada principalmente para identificar corpos esqueletizados.

Criminologia Forense

É a ciência que estuda o crime e o criminoso, suas causas sociais, psicológicas e comportamentais, bem como suas implicações no sistema jurídico-penal. Com base nestes estudos, pode-se propor soluções, novas leis para combater o crime.

Entomologia Forense

É a ciência que dedica ao estudo dos insetos como ferramenta auxiliar da investigação criminal, proporcionando a estimativa do tempo decorrido após a morte ou postmortem (IPM), apoiando-se no tempo em que o inseto leva para se desenvolver
de ovo ou larva até ao estágio no qual ele foi encontrado no cadáver.

Odontologia Forense

É a ciência que trabalha na área da medicina com a composição dentária do cadáver para a identificação. Seu papel na identificação de pessoas tem grande importância, pois os dentes são estruturas resistentes as modificações como putrefação,
calor e agentes químicos.

Patologia Forense

É a ciência que procura determinar a causa da morte de uma vítima, fazendo uso por exemplo, de técnicas de autópsia em seu corpo à procura de vestígios  que levem ao objeto do crime e ao seu autor. Avalia aspectos físicos como hematomas
ou feridas e aspectos clínicos como diagnóstico de doenças.

Psicologia Forense

É a ciência que dedica-se ao estudo do comportamento criminoso, constituindo uma interface entre a psicologia e o direito. Pode identificar a capacidade ou não do criminoso em realizar o crime, intermediar entrevistas e auxiliar na coleta
de novos indícios para investigação.

Criminologia Forense

É a ciência que estuda o crime e o criminoso, suas causas sociais, psicológicas e comportamentais, bem como suas implicações no sistema jurídico-penal. Com base nestes estudos, pode-se propor soluções, novas leis para combater o crime.